Conforme o tempo vai passando vou ficando mais lúcida a respeito do que quero realmente na minha vida e que caminho de vou tomar daqui pra frente. Ser babá de depressivo por 4 anos e perder o emprego de uma hora pra outra não é nada fácil.
 Se me perguntarem como estou, diria que depende: ora feliz por ter um lado espiritualista e saber que a morte é uma ilusão terrena; ora triste por saber que nunca mais irei ver, ouvir, falar, brigar e abraçar o meu irmão Rodrigo.

 Resumindo: estou indo … agora se é indo para estrada dos tijolos amarelos ou pro abismo, não sei ao certo. 

 Mas vou tentar aproveitar este momento de lucidez resolvi colocar o ponto de vista dos parentes do desencarnado (acredito que a morte nada mais é do que trocar um casaco velho) coisa que observei durante o funeral:

COMO AGIR NUM FUNERAL

1 ) Não faça cara de pena: sério, já está difícil ver um ente querido que se foi e lidar com a perda e tal, mas ter que enfrentar um mar de rostos com semblante de ” ó coitado” pra gente é foda. Pra caralho.

2 )  Evitem frases de efeito: Admito que alguns momento tive vontade de meter porrada em algumas pessoas que pareciam robôs, abraçando friamente e falando ao pé do ouvido com uma voz mais mecânica que um leitor de código de barras : ” tudo vai ficar bem … tenha força … ele está num lugar melhor, etc …”
 Não que o apoio das pessoas seja ruim, ao contrário, mas agir mecanicamente não dá.
Isso quando não são os famosos “3 tapinhas nas costas”, argh !

3 ) “Evite chorar porque o espírito dele vai sofrer do outro lado” : Olha, em todos esse anos nessa indústria vital, isso é a 1º vez que me acontece isso. Sério, uma pessoa suicída é o cúmulo do egoísmo (não que a família não seja já que prefere ver a pessoa do lado sofrendo do que em paz do outro lado, mas agora foda-se tô desabafando) e meu irmãozinho querido não pensou nem um pouco na gente, então deixa eu curtir a dor porra !

4 ) Fique alegre e bola pra frente: Tem semelhança com o nº2. Ouvi várias frases que realmente me incentivaram e pssoas que deram um apoio incrível, outras simplesmente batem no ombro e sutilmente dizem ” agora fica bem porque tenho mais o que fazer, beleza ?”.
   Curta o seu proecsso de luto o tempo que durar. Alguns dirão ‘ah, agora chega, já deu’ mas curta, seja se o luto for por uma pessoa, um animal de estimação, o fim de sua série favorita, etc. .. aproveite o processo. Tememos a tristeza, mas ela um processo importante -e até belo porque não? – para cura.

 5 ) Não finjam que nada aconteceu:  parece engraçado, mas teve pessoas (porque pensei que eram amigos mas vi que eram apenas colegas) que , depois de 2 semanas ficaram chocados ao dizer que estou médio, e não o TUDO BEM, UHHU !!! que normalmente faço.

 Não, não sei mais fingir estar bem ou ser mulher-maravilha, isso foi uma coisa boa que esta situação me trouxe, ser honesta com o que sinto. Mas calma, não significa que vou virar gótica, morar em cemitérios e ouvir músicas emos vivendo 25 horas por dia de tristeza e dor, só estou curtindo a minha atual situação pra não criar um câncer tempos depois. 
 Deixem a pessoa que está nessa situação falar o quanto quiser e se não quiserem ouvir, pelo menos não forcem a ter uma cura rápida e voltar pra uma rotina. Deixe curtir o luto, ok ?

 E o último mas não menos importante:

6 ) Evitem piadas de humor negro: algo mais light. Evitem se puderem (eu sei, dá uma vontade louca de contar bem nessa hora) coisa do tipo : ” vou matar o tempo …” ou ” vou morrer de rir …” ou a clássica “hum, será que gastaram muito no caixão?” . Vai por mim, é melhor evitar a fadiga.

 Aiai, acredito que o bom-humor é a maior e a melhor prova que Deus existe, afinal ele que criou o onitorrinco!