Epopéia capilar

   (Detalhes da minha Epopéia Capilar)

 Fazendo uma parada nos “momentos-divã” do blog, vou falar do assunto mais mulherzinha que existe: cabelos.

Tive vários tipos: longo, médio, curto, ruivo, morena, loira (original de fábrica!) e tudo mais que se possa imaginar. Ok, nunca fiz chapinha ou permamente, mas “de resto tudo pode” como diria Tim Maia.

Mas de todos os estlios sempre preferi os curtos – até descobir o prazer de ficar careca máquina Zero. Prático, rápido, sem muita mão-de-obra e sem gastar rios de $$$ em produtos , sou fã confessa de um couro capilar à mostra.

Mas o frio chegou (isso porque estamos no outono, imagina quando chegar o inverno mesmo? Brrrrrrrrrr!!) e a careca não está dando conta do recado, fora o fato de que ODEIO usar chapéus, gorros/ lenços porque além de esconder tudo coçam muito. Não é pra mim.

Então depois de muito lutar resolvi ceder vou deixar crescer um pouco, só até formar aquele adorável estilo Garçon (Joãozinho) como da linda atriz Jean Seberg que usei por vários anos. Tenho que lembrar dos prós e contras nessa batalha cabeluda:

A FAVOR: O cabelo cresce que nem capim quando se usa máquina e em 1 mês já tem o resultado legal. A touca ajuda pra não ver o resultado ‘capacete’ que fica. Esquenta a cabeça, tem o seu charme, pode-se brincar com os penteados e…bom, basicamente isso. Não consigo vr muitas utilidades em ter pêlos crescendo na minha cabeça.

CONTRA: Deixar crescer ocabelo é facíl, difícil e crescer a minha PACIÊNCIA e PERSEVERANÇA pra largar o vício da máquina passando e tosando tudo, hummm. É tão gostoso e libertador. Fora ter que relembrar como é pentear, lavar, secar os cabelos, comprar produtos pra colocar as pontas no lugar…aff, como é que s mulheres (e os homens cabeludos) aguentam essa tortura???

 Resumo da ópera : FRIO 1x CARECA=0.

 Mas é só chegar a primavera – ou quando o Sol voltar a brilhar e esquentar o Planeta Terra, quem chegar primeiro – que ZAP! nas melenas!!!