Um profeta pegou minha mão no Dia dos Fiéis Defuntos
Ele pregou o valor da decepção
Mudando sombras pela regra dos transmorfos
Contos nunca são apenas para os tolos

O tribunal da consciência veio antes de mim
Me presenteou com um anjo celestial
Ele pegou minha mão e pediu-me as verdades confidencialmente
Às suas perguntas eu respondi

(Refrão)

Você quer a verdade ou algo bonito?
Apenas feche os olhos e imagine
Você quer a verdade ou algo bonito?
Eu estou feliz por te enganar

Ele ficou tão altos como árvores de madeira vermelha
Bebeu chá do dedal de uma costureira
Eu não queria falar a verdade nua e crua
Então eu cuspi mentiras que visavam amenizar

Você quer a verdade ou algo bonito?
Apenas feche os olhos e imagine
Você quer a verdade ou algo bonito?

Eu estou feliz por te enganar

Consagrando mentiras e contando contos
Eu posso ser quem você quer que eu seja
Sagradas mentiras e contando contos
Eu posso ser quem você quer que eu seja
Mas você me quer?