SEXO, GRANOLA E ROCK

Faça-você-mesmo sua vida (Do-it-yourself your life)

POLÊMICA: Rasparam a cabeça da Panicat e a pergunta que não quer calar: e daí?

Calva WC_by_Dianah-B
História baseada em fatos reais, tirando o final. A mulher que me perguntou isso era doida varrida e sai de fininho do W.C. Mas que pensei em responder isso, ah, isso tive.

Achei estranho me deparar com um quantidade considerável de visitas no meu blog do nada. Qual não foi minha surpresa ao ver tags como “mulheres carecas” “cabelo raspados” e outros temas pesados demais para postar aqui.
Pensei que era devido a alguma novela (não entendo como tem gente que ainda vê isso e exclama “nossa, que história original!!”. Aff) ou algum famoso que ficou doente ou algo do tipo.

E lá fui eu fuçar – ê curiosidade que matou o gato! – o porque desse tema estar tão chamativo agora. Ai vi que a tal “dançarina” Babi Rossi do programa machista idiota burro retardado podre de “humor” do Pânico raspou a cabeça para ganhar ibope.

Mesmo Brasil? Em pleno séc. XXI, vocês ainda ficam chocados com uma mulher que raspa a cabeça?!?!?!?

Vi críticas do tipo:

“Pânico está apelando muito (!). Olha como humilharam a moça!”
“Fizeram ela perder a feminilidade. Nossa, que vergonha pra coitada!!!!”
“Isso é muito machismo da parte deles e blá blá blá…”

Gozado. Do meu ingênuo ponto de vista, humilhação é:

– Colocar várias mulheres semi-nuas esfregando o rego até embaçar a câmera em pleno horário nobre e elas permitirem, (pior ainda!) serem vendidas como pedaços de carne pendurado num açougue.
É as mulheres aceitarem tudo isso ou querer reinvidincar essa idéia fazendo passeatas com o Título “Marcha das vadias”. Desde quando vadia virou elogio?

OBS: E sim, sei o objetivo da passeata e acho legal as mulheres reividicarem o direito de usar a roupa que quiser, ser contra abuso sexual e tal. Mas o nome é muito bizarro. É como uma passeata contra o racismo com o nome “Passeata dos macacos”.
Desculpa, não concordo. Quer ir, beleza, seja feliz. Mas não entendo.

– Incentivarem músicas como Segura o Tchan!, Funk Carioca e pancadão da vida como símbolo da cultura brasileira. Realmente, é preciso ser um poeta para rimar palavras tão profundas como “cadela”, “piranha” sou teu garanhão” e “vem me dar a b*ceta”.

– É ver que a mídia brasileira luta tanto pelo Politicamente Correto (vulgo Ditadura) contra o preconceito aos negros, pobres e pessoas com deficiência, mas acha normal e até vende como cartão postal  mulheres nuas no carnaval e fazer ‘piadas de bixas’ em canais abertos.
Respeito pra todo mundo com humor e liberdade de expressão.

Eita, creio que sou muito ingênua mesmo…

Sobre o tema em si, seja por motivos de saúde ou estética, raspar a cabeça para uma mulher é sinal de independência, força e coragem e recomendo quem tiver vontade, que faça isso, pelo menos uma vez na vida. É viciante e divertido!

E gente, vou contar um segredinho: É SÓ CABELO!!!!!
É chato ver outra idéia ruim sobre nós mulheres carecas,
(conectar raspar a cabeça com o Pânico) mas cabelo cresce de novo e acredite, tem coisas bem mais interessantes para ver na TV do que esse programa. Ficou chocado ou revoltado? Muda de canal ou vá ler um livro. Ou raspar a cabeça, o que tu preferir. 🙂

2 Comments

  1. jura q vc falou isso?!q hilario kkk…tbm se a mulher agiu desse jeito mereceu a patadinha…no começo quando raspei a cabeça explicava pacientemente:nao toh doente, nao fiz promessa, nao sou isso, nao sou akilo, nao fiz isso, nao fiz akilo.enfim…e durante algum tempo toda vez q raspava sempre vinham:nossa, vc raspou de novo, nossa, pq vc faz isso.e pacientemente eu explicava e quando soltavam piadinhas eu levava na esportiva.ateh q me cansei e hj destribuo patadas a torta e a direita.odeio ser grossa com as pessoas, msm quando merecem, mas me cansei e quando as msms pessoas me perguntam:vc raspou de novo?eu respondo:nao!pintei.olha q cor linda rsrsrs…e quando criticam eu apenas falo q o cabelo é meu e assunto encerrado.entao hj em dia raramente alguem me enche, mas sou super feliz careca e me sinto muuuuito mais feminina e livre pra sentir o vento, o sol, o frio e tudo mais.me sinto ateh mais animada pra me arrumar.bjusssssss

    • Oi Mug, tudo bom contigo? Bem-vinda ao SGR!

      Infelizmente não falei porque s mulher na situação era doida e tive que sair de fininho senão podia até ser agredida (Sério mesmo, ela havia atacado outras pessoas no local).
      Teve uma vez que um roqueiro de cabelo comprido (!) me perguntou se estava doente e disse que não, e ele respondeu:
      – Nossa, é um cabelo tão agressivo! – e eu revidei:
      – O cabelo não é agressivo é a sua visão sobre ele que é agressiva. Ninguém te julgou por ter cabelo comprido?”
      E ele ficou na dele, hehehe…

      Mas como sempre falo, a visão tacanha é do povo. Eles acham estranho qualquer coisa “anormal” então apontam e fazem caretas. Às vezes dou uns olhares raivosos mas no geral eu deixo eles com sua ignorância e até viro o jogo com: “ué, e porque você tem cabelo comprido?” Nem eles tem resposta, hehehe… ser diferente tem seu preço e a turba normal é assim, a gente vai aprendendo a ligar só para nossa opinião né mesmo?

      CVamos curtir nossas carecas ao vento e ser feliz e quem não curtir foda-se! Hhehehe

      Besitos e intpe, volte mais vezes

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

26.193 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

%d blogueiros gostam disto: