Dizem que “quem canta seus males espanta”. Comigo é bem por aí. Basta ficar deprimida ou doente que solto a voz para aliviar a alma.
Nessa gravações foi devido ao falecimento de uma querida amiga devido ao câncer (beijo aonde você estiver Cecília)
E uma maldita gripe/ laringite que me aporrinhou a paciência na época, mas resolveu tirar férias. Ai aproveitei pra gravar um pouquinho – pena que meu fôlego não estava lá essas coisas.

Nota: só em filmes mesmo pra tuberculosos cantarem tão bem, né Satine?

Bom, aproveitei que a voz estava frágil e cantei músicas mais intimistas e até as famosas “dor de corno”, rs.

Esse é o mais novinha delas, gravada no finalzinho de 2012. A 1º vez que gravo, voz, violão no meu mic. E sim, esse microfone não serve para instrumentos, por isso o som metálico no fundo. Mas, o que vale é a intenção. E sonhando com um mic decente. Enquanto isso, outras gravações  em outubro de 2011.