L.A. Story steve martinSem querer ser “esquisotérica”, mas a Enya foi a única que conseguiu me trazer um pouco de Paz com essa canção agridoce . Não sei bem porquê, mas justo a música mais triste dela me animou.
Minha relação com a Enya tem altos e baixos. Quando comecei minha jornada espiritual, ouvia tanto música da Enya nas palestras new age que acabei criando ódio mortal por ela.
Igual quando trabalhava com churros recheados de doce de leite. No começo é legal, mas 4 anos depois, não podia ouvir a palavra “doce de leite” que me enjoava.

Bom, vou tentar dar uma chance para a Enya. O doce de leite nem adianta, só versão de soja  em doses moderadas.

Voltando ao tema de voltar a ter paz de Espírito, estamos tentando mudar o emocional para algo mais saudável já que a raiva  que passei nessas últimas semanas me deixou numa ressaca Emocional fudida. Resolvi usar o Engov emocional perfeito: Oração e comédias.

E o Guru da vez é o Steve Martin. Vejo os filmes dele desde que era pequena criança. Tem vários, mas O PANACA ainda é o meu favorito. Deus, ele é o perfeito idiota. Só de lembrar a frase “eu nasci um menino pobre e negro…” começo a rir.
Mas resolvemos rever o L.A. Story. É uma comédia romântica surreal sobre Los Angeles e as energias cósmicas que atraem as pessoas.
Vendo a cena que toca essa tal música da Enya que comentei, me fez perceber que o Steve Martin, além de ser um dos melhores comediantes americanos, possui um lado místico e romântico.
Além de ser imortal, já que não envelhece, apenas fica com o cabelo mais branco.
E que ele era bonitão no início de carreira.

Young Steve Martin A trilha sonora desse post abaixo.