business_6Imagem retirada do site Freepik

Ligue o Foda-se e seja Feliz!

Bem, o dia de Páscoa começou comigo completamente estressada e querendo fazer tudo ao mesmo tempo, numa ansiedade tremenda.

Lá estava nós tentando colocar as minhas receitas para fazer uns lindos ovos de Páscoa com bolos deliciosos para ajudar nossos irmãozinhos e irmãzinhas que tem intolerância à lactose e ao glúten, e que nesta época passam muita vontade.

 

Só que eu havia esquecido de um pequeno detalhe, eu tenho mais de 50 anos de prática em cozinha, mas, somente uma semana de experiência tentando fazer vídeos sobre culinária, e além disso, eu cozinho muito por intuição e tentar passar isso em forma de receitas com quantias exatas é foda pra mim.

Para postar receitas, eu preciso lembrar de todos os detalhes, da quantidade, qualidade e o porquê desses alimentos fazerem parte da receita, porque meu tipo de culinária não é só pelo sabor, mas eu me preocupo com a combinação para chegar à uma boa nutrição e por conseqüência uma boa saúde.

 

Quem é vegetariano, tem que saber qual alimento serve pra que. A parte de edição e embelezamento (que é muito trabalhoso) é feito pela Dianah, Graças à Deus, mas o que sobra é também muito trabalhoso, porque, não sei se você sabe, a comida não vem limpa e picadinha para ser colocada na panela, ela vem suja, dá muito trabalho pra comprar, limpar, empacotar e guardar, e é preciso muito tempo para torná-las prontas para consumo.

 

O mundo da TV onde tudo já vem prontinho só existe na imaginação de quem nunca cozinhou ou na cozinha do Harry Potter em Hogwarts, onde os elfos domésticos escravos preparam a comida para os bruxos, ok?

 

Bem voltando à vida real, cozinha dá trabalho prá caramba, e para fazer no vídeo com todos os detalhes, explicações, gravação de voz, edição, postagens, socorro!!!

É, viver trabalhando na internet é trabalho e mais trabalho, e mais trabalho sempre, (quem vive da internet trabalha muitas vezes mais do que quem tem emprego)

Quando comecei à perceber que estava vivendo no futuro uns 7 dias à frente, parei respirei e perguntei à mim mesma, porque você está tão ansiosa? (esquizôfrenia culinária)

 

-E eu mesma respondi, é porque o vídeo dos ovos de Páscoa talvez só saia no dia dos namorados.

E eu mesma respondi (na realidade já era meu mentor me dando instruções):

-E daí?

Eu respondi:

-Mas se eu postar depois da Páscoa, vão tirar sarro de mim, e a receita não vai ser mais útil.

E o mentor:

E daí?

É mesmo e daí! Então eu percebi o que ele estava tentando me dizer, que diferença faz uma data, é só uma coisa inventada pelos humanos e pela mídia, só isso. E eu comecei a relaxar, percebendo o que se passava comigo, eu tinha entrado no inconsciente coletivo novamente e já estava virando gado e até mugindo (e olha que nem como vaca).

 

O que eu quero dizer com isso é que a sociedade, o inconsciente coletivo humano é cheio de regras e datas pré-estabelecidas para tudo, inclusive essa data da Páscoa onde se convencionou que devemos encher nosso rabo de ovos de chocolate e depois vomitar uma semana inteira para comemorar. Páscoa tem um outro significado bem mais importante que isso.

 

Se a gente parar pra pensar verá como isso é ridículo, porque não podemos comer chocolate quando quisermos, e porque cargas d’água eles tem que ser em forma de ovo, e o que o coelho tem que ver com isso. Sim eu sei que existe um folclore para isso, vindo dos Celtas, a Ostara, mas não deixa de ser ridículo.

 

Se a gente comprar um quilo de chocolate (que é bem mais barato do que os ovos) pode dividir em pedacinhos e comer um pouquinho sempre, não é necessário querer comer tudo de uma vez só.

 

O engraçado é que se a gente come um pouquinho por vez não passa vontade, porque tudo que é proibido a gente quer mais, então se o chocolate não for proibido, a gente pode ser mais feliz e não vai engordar não, porque o que engorda mais é a culpa.

 

Bem isso se você não for intolerante à lactose como eu, minha família e todos meus irmãos e irmãs, que tem que achar alternativas para também ser feliz com o chocolate, daí eu me lembrei que minha intenção era ajudar, e não ficar me cobrando se a porra do vídeo sairia na Páscoa ou no Natal, e nesse ponto eu já estava bem relaxada.

 

E fiquei pensando que diferença faz se os bolos deliciosos das receitas vem em forma de ovo, gato, ou cocô (porque é isso que vão virar depois), o importante é que são deliciosos, suprem a vontade do chocolate e podem ser consumidos quando a gente quiser e não só na Páscoa, e o mais importante, eles saem bem em conta mais ou menos $9,00 cada um, são sem lactose e glúten, portanto não vão entupir nosso rabinho e nem deixar a gente vomitando uma semana.

 

E sabe o vídeo e as receitas vão sair no dia de Páscoa, mas podem ser usados o ano inteiro e isso é o que importa, além do que, essas receitas nos ensinaram muito em como produzir vídeos de culinária para internet, e isso é bem legal.

 

Daí eu me lembrei do Gasparetto, que ensina a usar uma remedinho chamado Foda-se que a gente deixa em cada cômodo da casa e toma quando necessário, e eu tomei algumas gotas e fiquei feliz, curtindo esse dia que convencionaram chamar de Páscoa, ou renascimento, que para mim é todo dia, porque a gente renasce cada dia em que abre os olhos nesta realidade chamada vida.

 

E eu tirei esse dia para renascer, dando uma banana para a mídia, para o inconsciente coletivo, e comendo bolo bem gostoso e feliz por ter colocado as receitas no ar porque sei que elas podem ajudar muitas pessoas a também serem felizes o ano inteiro com elas.

E se você ficar zangado/a porque a receita não saiu antes, faça esse bolo, tome umas gotas de Foda-se, coma o bolo e seja feliz!!!

Aliás me veio uma idéia e neste post vou lançar o mês do Foda-se, que começa na Páscoa, no renascimento de uma nova vida dando um Foda-se para o que nos enche o saco diariamente, se você gostar da campanha junte-se à ela e comente para que você gostaria de dar um Foda-se pra ser mais feliz.

 

Um feliz mês do Foda-se para todos nós! 🙂